Isquemia cardíaca: o que é, tipos, sintomas e tratamentos - Tudo pela Cura

Isquemia cardíaca: o que é, tipos, sintomas e tratamentos

- 10:08 AM


 

O sangue circula pelo nosso corpo através de vias, que são as artérias e vasos sanguíneos. Quando algum ponto dessas vias fica obstruído, o sangue não consegue chegar ao seu destino. A isquemia cardíaca é a obstrução dos vasos que levam o sangue até o coração. Nessa situação, o coração deixa de funcionar corretamente. 


Há uma lista grande de doenças que podem facilitar a ocorrência de uma isquemia cardíaca, mas a principal delas é a aterosclerose. Esse problema ocorre, principalmente, pelo acúmulo de placas de gordura dentro dos vasos, tornando-os mais estreitos e mais propensos às obstruções.





A isquemia cardíaca pode ser assintomática, aparecendo apenas em exames de rotina. Mas, também pode provocar sintomas bem graves, como dor no peito e ataque cardíaco. 


Existem tratamentos para melhorar o fluxo sanguíneo e remover as placas de gordura dos vasos, mas é muito importante incluir mudanças de hábitos alimentares e de estilo de vida.


Veja, com mais detalhes, o que é isquemia cardíaca, os tipos, os principais sintomas, e como são feitos o diagnóstico e os tratamentos.  


Índice deste artigo:

Isquemia cardíaca: o que é?

Tipos de isquemia cardíaca

Sintomas da isquemia cardíaca

Diagnóstico de isquemia cardíaca

Tratamentos para isquemia cardíaca

Isquemia cardíaca: o que é?

isquemia cardíaca

Isquemia cardíaca, também chamada de angina ou isquemia miocárdica, refere-se à redução do fluxo sanguíneo para o coração, fazendo com que ele não receba oxigênio e nutrientes suficientes.


Todos os nossos órgãos e tecidos precisam de oxigênio e nutrientes, que são transportados pelas células do sangue. Quando as vias ficam bloqueadas por placas de gordura ou coágulos sanguíneos, o órgão ou tecido não recebe esses fatores, que são essenciais para continuarem funcionando corretamente.  


  


No caso do coração, a falta de suprimento prejudica a sua capacidade em bombear sangue para todo o corpo, podendo levar a um ataque cardíaco ou arritmia.  


Tipos de isquemia cardíaca

A isquemia cardíaca é dividida segundo o tipo de dor no peito, ou angina, que ela provoca:


Angina estável

As características da dor ou desconforto no peito causados pela angina estável são: 


Acontece quando o coração está fazendo mais esforço do que o habitual, por exemplo, durante a execução de um exercício físico. 

Dura pouco tempo, menos de 5 minutos. 

Alivia com o repouso ou remédio prescrito pelo cardiologista.

Pode parecer com gases ou problemas de indigestão. 

Pode irradiar para os braços e costas. 

Geralmente, a angina estável é causada por:


Estresse e descontrole emocional. 

Exposição a temperaturas extremas, quente ou fria. 

Fazer refeições muito pesadas. 

Tabagismo

Angina instável

A angina instável, também chamada de síndrome coronariana aguda, causa uma dor no peito súbita durante o repouso.


A principal causa é a aterosclerose, causada pela deposição de placas de gordura nos vasos sanguíneos. 


 


Essas placas de gordura se rompem e causam lesões nos vasos sanguíneos e, naturalmente, como em qualquer machucado, se formam coágulos. Esses coágulos bloqueiam o fluxo sanguíneo, causando a angina instável. 



As características da angina instável são: 


Ocorre em situação de repouso, quando a pessoa está descansando, dormindo ou fazendo pouco esforço físico. 

É uma dor súbita e aguda.

Pode durar mais do que a angina estável.

A dor não melhora com o descanso ou com remédios. 

Tende a ficar pior com o passar do tempo. 

Pode provocar um ataque cardíaco.

A angina instável é uma situação de emergência, então se você sentir uma dor no peito que não melhora mas, ao invés disso, piora, procure um pronto atendimento. 


Isquemia cardíaca silenciosa

Esse tipo de isquemia cardíaca é dita silenciosa, porque não vem acompanhada de dor no peito. A única forma de descobrir o problema é com exames de rotina.


Pessoas com diabetes ou que já tiveram um episódio de ataque cardíaco são mais propensas a apresentarem isquemia cardíaca silenciosa. 




Outros fatores de risco que devem chamar a sua atenção para exames periódicos são: 

 

Tabagismo

Colesterol alto

Pressão alta

Histórico familiar de doenças cardíacas

Idade: o risco aumenta após os 45 anos nos homens e 55, nas mulheres.

Sedentarismo

Obesidade

Estresse exacerbado

Sintomas da isquemia cardíaca

Dor no peito

A dor no peito é o sintoma mais comum da isquemia cardíaca

O principal sintoma da isquemia cardíaca é a sensação de dor ou pressão no peito, do lado esquerdo. 


Outros sinais e sintomas também podem ocorrer, sendo mais comuns em mulheres, idosos e pessoas com diabetes: 


Dor no pescoço ou na mandíbula

Dor no ombro ou no braço

Taquicardia: batimentos cardíacos acelerados

Falta de ar

Náuseas e vômito

Sudorese

Fadiga

Diagnóstico de isquemia cardíaca

Diagnóstico

Existem alguns passos até que o cardiologista faça o diagnóstico de isquemia cardíaca

O diagnóstico de isquemia cardíaca inicia-se com o levantamento do seu histórico médico, para saber seu histórico familiar de doenças cardíacas e se você apresenta fatores de risco, como pressão alta, níveis elevados de colesterol, sedentarismo, entre outros.


A partir daí, o médico ou médica cardiologista fará perguntas para entender como é a sua dor. Então, você deverá relatar se ela ocorre só no peito, ou se irradia, quanto tempo costuma durar, se você sente falta de ar ou não. 


Os exames que o cardiologista pode solicitar são: 


Eletrocardiograma: são colocados eletrodos no seu tórax, para registrar a atividade elétrica do seu coração. 

Teste de esforço ou teste ergométrico: avalia seu ritmo cardíaco, pressão e respiração enquanto anda numa esteira ou pedala em uma bicicleta ergométrica. Veja como é um teste ergométrico. 

Ecocardiograma: são produzidas imagens do seu coração, a partir de ondas sonoras.

Ecocardiograma sob estresse: é um exame de ecocardiograma realizado após esforço físico feito na esteira ou bicicleta ergométrica, no consultório médico.

Cintilografia miocárdica: um material radioativo é injetado na sua veia, para observar como ele flui pelas veias e artérias. Pode ser feito em repouso e após exercício físico no consultório. Veja mais detalhes sobre este exame. 

Angiografia das coronárias: um contraste é injetado nas artérias do coração através de cateterismo cardíaco, para observar o interior dos vasos que levam o sangue ao coração. 

Tomografia computadorizada: permite a visualização das artérias com uso de radiações ionizantes e contrastes iodados, para realizar as imagens. 

Tratamentos para isquemia cardíaca

Os tratamentos para isquemia cardíaca podem envolver apenas medicações ou incluir cirurgia. O objetivo dos tratamentos é melhorar o fluxo sanguíneo para o coração. 


Medicações

A aspirina é um dos medicamentos mais usados para tratar a isquemia cardíaca, pois ela previne a formação de coágulos sanguíneos, deixando o sangue mais “fino”. 


Os nitratos são vasodilatadores, ou seja, deixam os vasos mais largos, facilitando o fluxo sanguíneo para o coração e reduzindo a pressão arterial. Esses medicamentos podem ser de ação curta ou de ação longa e são apresentados em forma de spray, comprimido oral e sublingual (para ser colocado embaixo da língua). 


Os medicamentos betabloqueadores reduzem o estresse no coração e nos vasos sanguíneos, relaxando a musculatura do coração e diminuindo a pressão arterial. 


Os bloqueadores de canais de cálcio também atuam como vasodilatadores, reduzindo a pressão sanguínea e pertencem à classe de medicamentos antiarrítmicos, usados para tratar arritmias cardíacas e ataque cardíaco. 


Também podem ser prescritas medicações para tratar o colesterol alto, um dos grandes responsáveis pela deposição de placas de gordura nos vasos sanguíneos. Veja quais são os tratamentos convencionais e complementares, com opções caseiras. 


Os inibidores da enzima de conversão da angiotensina são medicamentos prescritos para diminuir a pressão arterial e tratar a isquemia cardíaca. 


E, por fim, a ranolazina também pode ser prescrita para aliviar as dores no peito, em combinação com outros medicamentos. 


Procedimentos cirúrgicos

Em casos graves ou quando os medicamentos não surtem o efeito desejado, podem ser feitos alguns procedimentos cirúrgicos, para melhorar o fluxo sanguíneo. 


Angioplastia com stent: é inserido um cateter no vaso obstruído com um balão, que infla e abre o vaso. Uma malha de metal (stent) é colocada para mantê-lo aberto.  

Revascularização do miocárdio (ponte de safena): são usadas veias ou artérias saudáveis de outra parte do corpo (pernas, braços ou tórax), para criar um caminho alternativo para o fluxo sanguíneo chegar ao local do coração onde há uma veia obstruída.


Quais são os hábitos que você cultiva no dia a dia para evitar o problema de isquemia cardíaca? Quais exames periódicos você faz para saber seu estado geral de saúde? Comente abaixo!




Fonte: MBF


Advertisement